30/08/2020

Sutileza

Sutil beleza
a sorte
a incerteza
do que se faz desse homem
na hora em que já não olha
os olhos contentes
a pele que vibra
o esmero da vida
a sutileza
do cacho que cresce
e apetece
o poema
a próxima cena
a vida serena
que só acontece na hora em que olha
porque esse homem
sem tal transcendência é nada
ou quase nada.



(Paulo Vitor Cruz)

12/08/2020

Caça às bruxas

Está tudo à flor da pele
mas
meu bem
não me cancele

eu não peço que atenue
a revolta
o ferimento
o ato falho
nem desconsidere

peço um minuto
peço que espere

e não negue a correção
ao errante do seu lado
que couber o aprendizado
pois
aos olhos do czar
dividir é quebrantar

estar tudo à flor da pele
nos defronta
nos compele
ao ataque virulento
ao completo afastamento

não sei quanto o erro fere
eu não sei
mas calma
espere
por favor
não me incinere

ah
meu bem
não me cancele... 

 

 

(Paulo Vitor Cruz)